Skip to content

Category: Tempo de PentecostesConteúdo sindicalizado

Missa do décimo-sexto domingo depois de Pentecostes

Intróito. Sl 85, 3 e 5  Tende misericórdia de mim, Senhor, porque clamei por Vós durante todo o dia. Porque Vós, Senhor, sois manso e amigo e cheio de misericórdia com aqueles que Vos invocam. Sl. ibid, 1. Baixai, Senhor, o ouvido e escutai-me, porque sou pobre e sem nada de meu. V. Glória ao Pai.

Missa do décimo-quinto domingo depois de Pentecostes

Intróito. Sl 85, 1 e 2-3Baixai até mim, Senhor, o vosso ouvido e escutai-me. Salvai o vosso servo, ó meu Deus, que espera em Vós. Tende compaixão de mim, Senhor, porque clamei por Vós durante todo o dia. Sl,ibid, 4. Dai, Senhor, alegria ao vosso servo, porque levantei até Vós a minha alma. V. Glória.

Missa do décimo-quarto domingo depois de Pentecostes

Intróito. Sl 83, 10-11 - Ó Deus, que sois o nosso protetor, olhai a face do vosso Cristo. Porque vale por mil um dia passado nos átrios da vossa casa. Sl.(ibid, 2-3)v. Glória ao Pai. Como são amáveis os vossos tabernáculos, Senhor dos exércitos. A minha alma arde e desfalece pelos átrios do Senhor.

Comentário ao XIIIº Domingo depois de Pentecostes

Pe. Emmanuel-André, OSB
 
Dez leprosos vêm diante de Nosso Senhor, e se mantendo a uma certa distância, lhe gritam: Mestre, ou Rabi Jesus, tenha piedade de nós.
Os leprosos são a imagem dos pecadores; quer dizer que eles são a nossa imagem. Eles vêm a Nosso Senhor. Somente Ele poderia curá-los; como somente Ele pode nos curar depois do pecado.
Eles se mantêm à distância, era uma lei dos judeus; os leprosos não podiam nem mesmo se aproximar dos outros homens, por causa do temor de se pegar a doença.
 
Isto nos ensina com que humildade é preciso se aproximar de Nosso Senhor, quando se quer lhe pedir o perdão dos pecados.
 
O que eles pediam a Nosso Senhor é também para nós um belo modelo de oração: – Jesus,  dizem, tenha piedade de nós.
 
Não precisamos dizer mais nada. O Senhor vê nosso mal, então que tenha piedade de nós e isto nos bastará. Depois o Senhor fará para nós, segundo a sua piedade, segundo o seu coração; nós não pedimos nada além disso.
 
Nosso Senhor entende esta forma de oração. Ponhamo-nos em sua presença e com uma humilde confissão de nossa lepra, isto é, de nossos pecados, digamos a Ele: Jesus, tende piedade de nós.
 

Comentário ao XIIº Domingo depois de Pentecostes

 XIIº DOMINGO DEPOIS DE PENTECOSTES

 
Nós meditaremos neste domingo a tocante parábola do bom samaritano.
 
Um homem, diz Nosso Senhor, descia de Jerusalém a Jericó e caiu nas mãos de ladrões que lhe roubaram, lhe cobriram de golpes e o deixaram meio morto.
 
Este homem é a verdadeira imagem de nosso pai Adão, o qual desceu infelizmente, não de Jerusalém, mas do paraíso terrestre, e chegou, não a Jericó, mas nesse mundo em que estamos, depois de ter caído nas mãos de demônios, que lhe despojaram da divina graça, lhe fizeram feridas mortais, e o deixaram meio morto.
 
 ***
 
Esta história nos atinge de muito perto, pois em Adão fomos destituídos do paraíso, em Adão caímos neste baixo mundo, em Adão perdemos a graça de Deus, em Adão fomos machucados com feridas muito cruéis.
 
O ferido da parábola não foi, entretanto reduzido à morte: ele encontrou um samaritano caridoso para socorrê-lo.
E nós, os feridos do pecado original, recebemos de Deus para nos curar Nosso Senhor Jesus Cristo. Samaritano quer dizer um estrangeiro ao povo judeu, e Nosso Senhor era de uma condição bem superior a natureza humana; mas samaritano quer dizer também guardião, e Nosso Senhor é o verdadeiro guardião que nos salvou e nos reconduziu ao paraíso.
 
Rendamos graças, e nos entreguemos a Ele, a fim de que Ele cure em nós tudo o que tivermos de Adão.
AdaptiveThemes